sexta-feira, 19 de julho de 2013

Leitura Crítica da Mídia: ALiados - Rede de Jornalismo Independente

Veículos digitais de jornalismo independente da América Latina juntam-se em nova associação


Da esq. para a dir.: Martín Rodríguez Pellecer (Plaza Pública), Gustavo Gorriti (IDL-Reporteros), Graciela Mochkofsky y Gabriel Pasquini (el puercoespín), Daniel Moreno (Animal Político), Mónica González (CIPER), Carlos Dada (El Faro), Patricio Fernández (The Clinic), Juanita León (La Silla Vacía) e Natalia Viana (Agencia Pública).
Dez veículos digitais de jornalismo investigativo da América Latina reuniram esforços e criaram a ALiados, uma rede para fortalecer a cooperação mútua e buscar novas formas de sustentabilidade para o jornalismo independente. A ALiados nasceu em Buenos Aires, no dia 15 de junho, onde representantes desses veículos encontraram-se para discutir e assinar um manifesto de fundação, a Declaração de Al Maitén.
Fazem parte da ALiados a Agência Pública (Brasil), Animal Político (México), CIPER (Chile), Confidencial (Nicarágua), El Faro (El Salvador), El Puercoespín (Argentina), IDL-Reporteros (Peru), La Silla Vacía (Colombia), Plaza Pública (Guatemala) e The Clinic (Chile). Embora muito diferentes entre si, os veículos têm diretrizes comuns, expressos na Declaração: "qualidade profissional, transparência de procedimentos, independência de poderes políticos e econômicos e a precisão factual com que informam sobre realidades da América Latina e do mundo de uma forma que não fazem os veículos tradicionais da região".
Muitos dos membros da ALiados já se conheciam e haviam se reunido em maio deste ano durante o 6o Colóquio Íbero-Americano sobre Jornalismo Digital, onde nasceu o embrião da associação. Organizado pelo Centro Knight na Universidade do Texas, em Austin, o Colóquio tratou de questões-chave do jornalismo digital, como sustentabilidade, diversificação de renda e aumento de tráfego e de audiência.
"Foi um encontro muito produtivo, com um foco claro em colaboração e sustentabilidade", avalia o professor Rosental Calmon Alves, diretor e fundador do Centro Knight, que também esteve presente em Buenos Aires para a fundação da ALiados. "Sites de notícias independentes do México a Argentina discutiram formas de ajudar uns aos outros para desenvolver estratégias para financiar o jornalismo profissional e de qualidade que eles praticam em seus países. Os sites são bem diferentes uns dos outros, mas estão unidos em torno desse objetivo comum: produzir jornalismo de qualidade e contribuir para a democracia e transparência em seus países".
Em busca de novas formas de sustentabilidade para o jornalismo investigativo digital, a ALiados organizará programas e iniciativas conjuntas, como o apoio de doadores e do público. Para Gabriel Pasquini, diretor do site argentino El Puercospín e um dos organizadores da rede, a constrção de redes "é um passo inevitável do desenvolvimento do jornalismo digital, especialmente em uma região do mundo onde compartilhamos um idiomas e, em muitos casos, temas e problemas que ultrapassam fronteiras".
Conheça um pouco mais os membros da rede ALiados:
  • Agência Pública (Brasil): Agência digital de jornalismo investigativo, cobre principalmente violações de direitos humanos na ditadura militar, megainvestimentos na Amazônia e a Copa do Mundo de 2014 no Rio de Janeiro.


  • Animal Político (México): Portal de noticias focado em informação política, reivindica uma linguagem diferente daquela usada pelos veículos tradicionais.


  • CIPER (Chile): O Centro de Investigação Jornalística é uma fundação sem fins lucrativos, criada para desenvolver reportagens de investigação segundo princípios da máxima qualidade e integridade profissional.


  • Confidencial (Nicarágua): fundado em 1996 como semanário de informação e análise, em 2010 se transformou em jornal digital interativo, mantendo sua edição impressa. Foca em conteúdos multimídia em parceria com programas de televisão.


  • El Faro (El Salvador): nasceu em 1998, quase uma década antes de a revolução digital absorver a indústria jornalística e quando El Salvador havia acabado de sair de uma guerra civil violenta. Focado em jornalismo crítico do poder.


  • Plaza Pública (Guatemala): veículo online de análise, investigações e debates, fundado em 2011 pela Universidade Rafael Landívar. Publica reportagens sobre as dinâmicas do poder que atentam contra a dignidade da população.


  • The Clinic (Chile): mistura sátira e humor político à crítica social. Nasceu em 1998 como um panfleto impresso para zombar do ex-ditador Agusto Pinochet.É a revista mais lida do Chile, e seu site é igualmente popular.

Nenhum comentário: